Painéis antissolares: a busca pelo aproveitamento total do Sol

Painéis antissolares: a busca pelo aproveitamento total do Sol

Os problemas ecológicos que a humanidade enfrenta são mais desafiadores a cada dia que passa. Nesse cenário, uma das soluções buscadas é o desenvolvimento de fontes de energia renováveis e ecologicamente sustentáveis, como a energia solar, que já é utilizada por meio dos painéis solares, aplicados na rede urbana e industrial. Porém, na tentativa de maximizar o aproveitamento da energia proveniente do Sol, foi criado um novo tipo de gerador. O painel “antissolar”, como é chamado, funciona de maneira oposta, ou seja, a geração de energia ocorre durante a noite.

Os painéis antissolares foram criados por pesquisadores da Universidade da Califórnia e foram divulgados por meio de artigo publicado na revista científica ACS Photonics.

Como funciona o painel antissolar?

Um painel “antissolar” utiliza a diferença de temperatura entre a Terra e o espaço durante a noite. O calor armazenado pelo nosso planeta durante o dia é irradiado durante o período noturno, em forma da radiação infravermelha, ou seja, a Terra é o corpo quente e o espaço é o corpo frio, pelo princípio físico da troca de energia térmica. Nesse sentido, tal painel, durante a troca, captaria os raios infravermelhos através de uma célula termorradiativa que gera uma corrente elétrica ao ser submetida a partir da diferença de temperatura. A energia elétrica gerada pode ser usada logo depois.

Esquema sobre o funcionamento do painel

Porém, para um dispositivo com esta funcionalidade é necessário que ele seja construído com materiais que sejam bons em captar luz de comprimento de onda muito longo (infravermelhos). Diferente dos painéis solares, feitos de silício, estão sendo confeccionados antissolares formados por ligas de mercúrio.

Nesse contexto, foi revelado que painéis com as ligas de mercúrio geram 25% da energia que é gerada por um painel solar convencional. Em termos numéricos, considerando que o tipo mais popular instalados em residências produz aproximadamente 56 kWh, um painel antissolar produziria aproximadamente 14 kWh.

Apesar da desvantagem, os antissolares possuem uma exclusividade: eles não são limitados quanto ao posicionamento. Esta liberdade se dá pois eles não dependem da incidência solar para alcançar a eficiência máxima.

O desenvolvimento de formas de se gerar energia limpa, como o painel antissolar, retrata a importância e necessidade de realizar uma transição: deixar, mesmo que em pequenos passos, a dependência das fontes energéticas prejudiciais ao ambiente. Portanto, é de suma importância que estas novas tecnologias recebam a atenção necessária para que esta dependência seja superada.

Autor: João Victor Silva Munck

João Munck

%d blogueiros gostam disto: