Irã se diz preparado para negociar imediatamente troca de combustível

TEERÃ — O Irã está preparado para realizar imediatamente negociações com as grandes potências sobre a troca de combustível nuclear e não procura ter um estoque de urânio enriquecido a 20%, declarou nesta sexta-feira o chefe o programa nuclear iraniano, Ali Akbar Salehi.

“Estamos preparados para iniciar negociações com a outra parte nos próximos dias” sobre a troca de combustível, disse o chefe da Organização Iraniana de Energia Atômica (OIEA) à agência de notícias Mehr.

Segundo ele, as discussões com o grupo de Viena (Estados Unidos, Rússia, França) serão realizadas na capital austríaca, sede da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).

As propostas de Salehi são uma resposta à declaração dos Estados Unidos feita na quarta-feira indicando que esperam por uma próxima reunião sobre esta questão. “Estamos todos nos preparando para continuar a discussão com o Irã sobre os detalhes de nossa proposta inicial relativa ao reator de pesquisas de Teerã”, disse o Departamento de Estado.

As potências do Grupo dos Seis (Estados Unidos, França, Grã-Bretanha, Rússia, China e Alemanha) propuseram em outubro de 2009 uma troca de urânio iraniano enriquecido a 3,5% por combustível a 20% enriquecido no exterior para o reator de pesquisas médicas de Teerã.

Esta oferta apresentada pelo Grupo de Viena sob os auspícios da AIEA tinha sido rejeitada por Teerã, que fez em maio uma contra-proposta elaborada com a ajuda da Turquia e do Brasil.

Esta contra-proposta foi rejeitada pelos Seis, que ao mesmo tempo acentuaram a pressão diplomática para a adoção de novas sanções contra o Irã na ONU.

Na quarta-feira, o Departamento de Estado indicou que os Estados Unidos examinavam a resposta de Teerã às questões do Grupo de Viena sobre a contra-proposta.

Em uma tentativa de esclarecer mais o assunto para as grandes potências, Salehi afirmou que seu país não busca formar um estoque de urânio enriquecido a 20%, além das necessidades do reator de Teerã.

“Queremos o combustível a 20% apenas para o reator de Teerã no momento. Se no futuro tivermos outros reatores desse tipo, isso será uma outra questão”, disse. “Se nos fornecerem 100 quilos de combustível, isso será suficiente para 7 ou 8 anos. (…) Não queremos um estoque de combustível a 20%”, acrescentou.

O Irã começou a produzir em fevereiro passado urânio enriquecido a 20% para que fabrique seu próprio combustível após o fracasso das negociações para a obtenção no exterior.

Esta decisão foi condenada pelas grandes potências, que acusam Teerã de tentar fabricar a arma atômica sob o pretexto de manter um programa nuclear civil e, mais particularmente, suas atividades de enriquecimento de urânio.

O enriquecimento de urânio pode ser utilizado com fins civis e também militares.

O enriquecimento entre 3,5% e 20% tem um uso civil, mas com um estoque de urânio enriquecido a 20%, o Irã poderá elevar este enriquecimento a 90% para fabricar a arma atômica.

Fonte:AFP