Índios deixam canteiro de obras de Belo Monte após acordo

  Um grupo de índios que se opõe à construção da hidrelétrica de Belo Monte encerrou nesta terça-feira a ocupação do canteiro de obras, que se prolongou por nove dias, após chegar a um acordo com a construtora Norte Energia.

A empresa informou que aceitou integralmente as reivindicações dos índios, que incluem a construção de escolas, um hospital e casas para os povos nativos, em uma audiência mediada pela Fundação Nacional do Índio (Funai).

Depois da reunião, os índios começaram a desbloquear a represa provisória do Sítio Pimental, o principal local das obras, nas margens do rio Xingu no Pará, onde estavam instalados desde o último dia 8, informou a construtora à “Agência Brasil”.

A Norte Energia deve realizar amanhã outra reunião similar com um grupo de pescadores que se uniram aos índios para bloquear as obras de Belo Monte.

A hidrelétrica terá uma potência máxima de 11.233 megawatts quando for concluída e motivou numerosas manifestações das comunidades ribeirinhas e dos indígenas, que denunciam que a represa terá um grande impacto na floresta amazônica.

Diversos organismos apresentaram denúncias à Justiça por supostas irregularidades na concessão das licenças ambientais pelo governo.

O Tribunal Federal do Pará desprezou hoje uma denúncia apresentada pela procuradoria que pedia a suspensão das obras por supostos erros de procedimento.

Fonte: Abril