Copel vai estudar novas hidrelétricas no rio Piquiri, no oeste do Paraná

Aneel autoriza companhia a tocar estudos de viabilidade de 4 usinas e 11 PCHs

A Copel obteve registro ativo junto  à  Aneel para elaborar os projetos  básicos de 11 PCHs (pequenas  centrais hidrelétricas) no curso do  rio Piquiri (foto), na região oeste do  Paraná. A companhia também    recebeu autorização para promover    os estudos de viabilidade de quatro hidrelétricas de médio porte no mesmo rio.

A companhia afirma que os trabalhos, já iniciados, deverão estar concluídos dentro de um ano, aproximadamente. A Copel ressalta que os registros obtidos não significam que a empresa vá ter preferência na disputa dos empreendimentos, mas afirma que tem “a firme disposição de explorar tais potenciais”.

“Nossos planos de expansão na área de geração de energia não se limitam ao Paraná, mas evidentemente conferem prioridade a ele”, explica o presidente da estatal paranaense, Ronald Ravedutti. “Estamos adicionando arrojo e ousadia à nossa estratégia e vamos buscar aproveitar todas as boas oportunidades que surgirem para expandir os negócios”, garante o executivo.

Somados, os 15 aproveitamentos somam 659 MW em potência instalada. O parque de geração da Copel tem hoje uma capacidade total de 4.550MW e é formado por 17 hidrelétricas e uma termelétrica a carvão mineral.

As usinas
A autorização obtida para a Copel é referente às usinas hidrelétricas de Apertados (135,5 MW de capacidade estimada, nos municípios de Formosa do Oeste e Alto Piquiri), Comissário (105,3 MW nos municípios de Ubiratã e Nova Aurora), Foz do Piquiri (101,2 MW no município de Brasilândia do Sul) e Ercilândia (96,6 MW nos municípios de Ibiporã e Assis Chateaubriand).

Paralelamente, a Companhia obteve também registro ativo para a elaboração do projeto básico das seguintes PCHs: Porto da Bota (29,6 MW nos municípios de Altamira do Paraná e Diamante do Sul), Salto Grande (27,3 MW nos municípios de Palmital e Marquinho), São Manoel (26,5 MW nos municípios de Palmital e Nova Laranjeiras), Bandeira (25,4 MW nos municípios de Palmital e Nova Laranjeiras), Ervalzinho Baixo (18,1 MW nos municípios de Palmital e Goioxim), do Cobre (17,8 MW nos municípios de Palmital e Marquinho), Bonito A (16,7 MW) e Bonito B (16,3 MW), ambas nos municípios de Santa Maria do Oeste e Goioxim, Cascudo (16,5 MW nos municípios de Laranjal e Nova Laranjeiras), Pinhalito (16,2 MW nos municípios de Altamira do Paraná e Diamante do Sul) e Rio do Forno (9,5 MW nos municípios de Santa Maria do Oeste e Goioxim).

Fonte:Jornal da Energia

fernandomonteiroufjf

%d blogueiros gostam disto: