Starlink : A inovação na Internet por satélite

Starlink : A inovação na Internet por satélite

Você já conhece a nova internet por satélite do bilionário Elon Musk que promete conexão rápida em qualquer lugar do mundo?

Se ainda não, aqui vai uma breve apresentação sobre o Starlink.

O projeto Starlink é uma vertente da SpaceX, empresa de Musk. A ideia consiste em entregar internet de banda larga com altas velocidades e baixa latência em qualquer lugar do mundo via satélite. Atualmente, a internet via satélite consiste no envio de dados, via sinal de rádio, de uma base de satélites na Terra para um outro satélite em órbita que redireciona os dados para o receptor final, o consumidor. Apesar disso, essa conexão possui dois problemas: a alta latência e a baixa velocidade de transmissão de dados.

No entanto, o Starlink promete mudar isso, através de uma baixa latência e altas velocidades. Mas como isso é possível em uma rede de Internet via satélite? Elon solucionou o problema das distâncias ao colocar seus satélites do projeto na órbita baixa terrestre (aproximadamente 480km acima do solo), assim como ao expandir o número de satélites lançados à órbita. A estimativa é que, quando todos forem lançados, existirão 40.000 satélites na órbita terrestre dedicados apenas ao Starlink. Dessa forma, irá garantir uma conexão de Internet estável, rápida e com uma cobertura global.

O serviço de Internet de Musk já está ativo e é utilizado por alguns consumidores no planeta. Atualmente, a empresa afirma que as velocidades de conexão podem variar entre 50 Mbps até 150 Mbps. Conforme a empresa lança mais satélites em órbita, maior a velocidade da Internet entregue e maior fica a rede de cobertura do serviço. Até Março deste ano (2021) haviam mais de 1100 satélites em órbita dedicados ao Starlink.

E como obter o serviço de Internet? Bom, aos interessados basta entrar no site da Starlink, ver se na sua área a cobertura está disponível e proceder com pagamentos para reserva do serviço. A empresa pede um depósito no valor de US$ 99 para reservar o acesso à internet, que está prevista para funcionar entre 2021 e 2022. Além da reserva, para uso da internet é necessário comprar um kit com antena e roteador, o qual a empresa promete se encarregar de entregar, por US$ 499.

O dono da empresa e bilionário Elon Musk garantiu no Twitter que até o final deste ano o sistema terá velocidade de 300 Mbps e uma latência de 20 ms. Além disso, terá uma cobertura quase global até o final de 2021 e uma cobertura global para 2022. Musk ainda afirma que o sistema de satélites funciona melhor para áreas com uma densidade populacional média, e não grande. Ou seja, o projeto pode ser uma ótima alternativa para aqueles consumidores que desejam uma conexão rápida, mas moram em locais que não dispõem de uma boa provedora de internet por fio com a velocidade e latência desejadas.

De acordo com o próprio site do projeto, o Starlink estará disponível no Brasil. Porém, a Anatel esclareceu para o UOL que a pré-venda do Starlink, no Brasil, pode consistir apenas no levantamento de possíveis interessados no serviço. Uma vez que não foi solicitado nenhum registro com a Agência, e este é necessário para o funcionamento do Starlink em solo brasileiro. Portanto, se você – residente brasileiro – se interessou pelo serviço não se adiante nos pagamentos e reservas para depois não sofrer com um serviço ainda não liberado pelos órgãos reguladores brasileiros.

E aí, vocês confiariam no projeto para solucionar algumas das suas dores de cabeça com as provedoras de internet brasileiras? Ou ficaria com medo de perder toda a conexão quando caísse aquele temporal que parece os fins do mundo?
Falem nos comentários o que acharam e compartilhem para que mais pessoas saibam o que está por vir!

Matéria por : Bernardo Andrade
Fontes: UOL, Mashable, The Verge, TechTudo

Bernardo Andrade

%d blogueiros gostam disto: