Energia a biomassa pode crescer até 15% em 2015

     A energia produzibiomassada através da biomassa segue como uma das alternativas no combate à crise energética do país, mesmo em menor escala comparado à energia solar e eólica. É esperado que o setor sucroenergético expanda neste ano o segmento de cogeração (a cogeração é definida como um processo de produção e utilização combinada de calor e eletricidade, proporcionando o aproveitamento de mais de 70% da energia térmica proveniente dos combustíveis utilizados nesse processo), contribuindo para uma maior diversificação  da matriz energética no país.

     Segundo especialistas, a cadeia produtiva de açúcar e álcool tem potencial para aumentar a oferta de energia entre 10% e 15% em 2015 sobre os 20,8 mil GWh gerados em 2014, quantidade já 21% maior que em 2013. A previsão leva em consideração a capacidade instalada atualmente e o uso de materiais como o cavaco de madeira, além do bagaço da cana-de-açúcar.

     Para a indústria, a pequena participação dessa fonte de energia no consumo nacional (4%) é causada pela falta de investimentos.

     Os atuais linhões necessários à energia de cogeração estão concentrados em áreas de fronteira de cana, como Mato Grosso do Sul e Goiás e foram erguidos entre 2008 e 2009. Já em São Paulo, principal produtor, mas que tem usinas mais antigas, a infraestrutura é fraca.

Fonte: Ambiente EnergiaLogo Pet 2