Walt Disney, o maior vencedor do Oscar

Walt Disney, o maior vencedor do Oscar

Walter Elias Disney, mais conhecido como Walt Disney, nasceu no dia 5 de dezembro de 1901, em Chicago, Illinois. Ele foi um dos co-fundadores da The Walt Disney Company e é muito conhecido pelos seus trabalhos como produtor, diretor, roteirista e animador, que revolucionaram a arte do cinema.

Considerado como um símbolo da indústria da animação e ícone da cultura popular, foi ele quem idealizou o parque Disneyland e o Walt Disney World Resort. Além disso, é o maior vencedor do Oscar da história com 22 prêmios da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas e 59 indicações. Vale ressaltar também as 7 vezes em que ele ganhou o prêmio Emmy Awards, que é a premiação mais importante atribuída para programas e profissionais da televisão.

Apesar de todas as suas conquistas, a vida do famoso produtor não foi sempre fácil. Walt era filho de imigrantes, possuía 3 irmãos mais velhos e uma mais nova, o pai deles, Elias Disney, era descendente de irlandeses e sua mãe tinha ascendência alemã e inglesa. Elias possuía um pequeno negócio de construção civil, mas passava constantemente por dificuldades financeiras, o que fez com que alguns de seus filhos saíssem de casa buscando condições melhores e nunca mais voltassem. 

Devido a estes problemas, a família Disney mudava de cidade constantemente e chegaram a passar por Marceline e a cidade de Kansas, ambas localizadas no estado do Missouri. Foi nesses novos lugares  onde o jovem Walt se encontrou de verdade com  as artes, algo que sempre teve um certo interesse desde sua infância, especialmente desenhos de animais. Para conseguir uma renda extra, Walt Disney aproveitava para vender seus desenhos para os vizinhos, além de trabalhar como entregador de jornais com o pai.

Em 1917, o pai de Walt virou acionista de uma fábrica de geleias e a família Disney teve que se mudar novamente. Em Chicago, Walt fez mais cursos de artes e entrou para Ordem Demolay. No ano de 1918, tentou se alistar no exército para seguir os passos do seu irmão mais velho, Roy Disney, que lutava na Primeira Guerra, mas não conseguiu por ser menor de idade na época. Determinado a viajar para Europa, Disney falsifica uma identidade, consegue se alistar na Cruz Vermelha e parte para França. Nesse tempo, ele trabalhava como motorista de ambulância e tentava vender seus desenhos, mas não obteve muito sucesso.

Walt Disney ao lado de uma ambulância da Cruz Vermelha que dirigia na França.
(Fonte)

Com o final da guerra e a volta para os Estados Unidos, Walt Disney retornava a trabalhar com seu pai novamente, mas dessa vez de vigia noturno e assistente na fábrica. Porém, após um ano, ele resolvia voltar para cidade de Kansas para estudar na Kansas City Arts School e trabalhar com agências publicitárias, onde poderia aprender mais sobre publicidade. Posteriormente, ele conseguiu um emprego como animador na companhia Kansas City Film.

Lá ele conseguiu aprender muito sobre animação e depois criou sua primeira empresa: Laugh-O-Gram Studios, que teve sucesso e chamou atenção dos anunciantes. Em sua empresa, Walt investia em curtas metragem de animação baseados em contos de fadas que seriam vendidos para cinemas. Apesar do sucesso do trabalho, ele nunca recebeu o dinheiro dessas vendas para os cinemas e, devido ao calote, Walt Disney faliu e teve que fechar sua empresa.

O animador estava totalmente sem dinheiro, nem ao menos possuía sapatos sociais para trabalhar, algo muito importante na época, pois era de praxe se apresentar em uma entrevista de emprego com sapatos adequados. Por isso, inicialmente, Walt rejeita uma oferta de entrevista de emprego de um dentista, mas quando esse descobre o motivo de sua recusa, comprou um par de sapatos novos para ele e pagou quinhentos dólares para produção de um curta metragem sobre saúde bucal. Porém, mesmo com esse dinheiro, Walt não conseguiria pagar todas suas dívidas, porém isso possibilitou que trabalhasse em outras animações e foi para Hollywood para empreender com o seu irmão, Roy.

Com a ajuda de Robert Disney, seu tio, os irmãos registraram a empresa Disney Brothers Cartoons Studios e gravaram a obra Alice no País das Maravilhas. Após isso, conseguiram um contrato com uma agência para distribuir o filme e até mesmo um escritório, já que antes trabalhavam na garagem da casa de Robert. 

De forma que os outros filmes de animação da época também estavam em sucesso, a produção de Alice não rendia tanto lucro como antes. Então, os dois irmãos tiveram que inovar mais uma vez. Assim surgiu o Oswald, the Lucky Rabbit, ou Coelho Osvaldo aqui no Brasil, que foi um sucesso de bilheteria. Para continuar as gravações, Walt marcou uma nova reunião com o produtor, mas ele quis pagar menos do que o acordado anteriormente para produzir mais sobre a obra. 

Como não tinha muitas opções, Walt quis criar um novo animal, um camundongo que de início se chamaria Mortimer Mouse. Porém, aconselhado pela sua esposa, Lillian Bounds, com quem se casou em 1925, ele mudou o nome para Mickey Mouse. O personagem tinha uma personalidade parecida com a de seu criador, ele era tímido e engraçado, e foi o próprio Walt o dublador de Mickey no início, mas isso durou até 1947. As primeiras animações do rato foram um fracasso, o sucesso tão esperado só chegou na terceira tentativa lançada em 1928, época na qual o som chegou ao cinema. Depois disso, Mickey Mouse se tornou um grande estouro, foram produzidas 75 curtas de animação entre 1929 e 1939.

No ano de 1932, Walt Disney conheceu um engenheiro que apresentou o conceito de três cores, agora as animações também eram coloridas e, assim, surgiu no ano seguinte outro sucesso de sua carreira, o Three Little Pigs, ou como ficou conhecido no Brasil, Os Três Porquinhos. Logo mais tarde, em 1937, ele quis investir em um longa metragem chamado de Snow White and the Seven Dwarfs, ou A Branca de Neve e os Sete Anões aqui no Brasil, porém foi contrariado por muitos, pois o dinheiro para produção deste poderia falir com sua empresa. Entretanto, este filme lhe rendeu 1 Oscar honorário, que veio acompanhado de 7 estátuas pequenas que representavam os 7 anões, e lhe arrecadou 3,5 milhões de dólares somente nos Estados Unidos e Canadá.

Na época da Segunda Guerra Mundial, Walt cooperou com exército e marinha com filmes de treinamento e instrução dos combatentes, tudo isto por causa de seu patriotismo e por ter participado também da Primeira Grande Guerra,. Além disso, ele criou um filme de forma crítica, em que Pato Donald estava na Alemanha Nazista em condições horríveis, chamado de Der Fuehrer’s Face no original. 

Após visitar parques de diversão dos Estados Unidos e Dinamarca, Walt Disney decidiu criar um parque próprio que teria toda uma experiência mágica para os visitantes, seria algo revolucionário, como se os personagens da Disney fossem reais. Devido a crise no mercado, conhecida como crise de 1929, mais uma vez Walt foi questionado sobre suas ideias. Para lidar com o alto custo da construção, ele negociou com a estação de televisão ABC, essa ficaria com um terço do parque e teria direito a exibição dos filmes do Mickey. Por outro lado, a Disney receberia o dinheiro para tirar o projeto do papel. O parque chamado de Disneyland foi inaugurado, na Califórnia, em 1955.

A ideia principal de Walt era criar um complexo de parques. Para isso, chegou a comprar um terreno, em Orlando, que possuía o tamanho de uma cidade de São Francisco ou de duas ilhas de Manhattan. Entretanto, Walt Disney nunca conheceu o grande Walt Disney Resort, que foi inaugurado em 1971, pois morreu em 1966 de câncer de pulmão. Apesar de ter morrido relativamente cedo, com 65 anos apenas, Walt Disney deixou seu nome e seu legado para sempre na história do cinema e da animação.

Gostou do texto? Deixe seu comentário.

Fonte: 
Medium
Wikipedia
Youtube – Passo a Passo Empreendedor
Youtube – Canal Nostalgia


Escrito por: João Pedro F. Barreto

João Bareto

%d blogueiros gostam disto: