Sistema facilita comunicação de pessoas com deficiência motora

O engenheiro eletrônico Gabriel Pires do Instituto de Sistemas e Robótica (ISR) da  Universidade de Coimba (UC) desenvolveu uma interface cérebro-computador que permite que pessoas com limitações motoras graves tenham novamente a possibilidade de se comunicar. Com esse sistema, a comunicação será baseada no movimento das pálpebras.

A interface é composta por um computador portátil ligado a eletrodos que captam as      ondas cerebrais acionadas com o piscar dos olhos. Os sinais são amplificados e  reconhecidos por um software especial através de algoritmos específicos. A tecnologia permite ao usuário formar palavras e frases usando um sistema que mostra  as letras de forma aleatória, escolhidas com o movimento das pálpebras. “É como se fosse uma antiga máquina de escrever”, esclarece Gabriel Pires.

Além de facilitar a comunicação, o dispositivo ainda permite ao usuário ligar a televisão e as luzes, acionar alarmes via telefone, conduzir uma cadeira de rodas e realizar outras tarefas cotidianas, como conversar pelo computador ou enviar um e-mail.

De acordo com Gabriel, o sistema é um novo canal de comunicação que se abre para pessoas sem mobilidade e que, apesar da deficiência, estão com a capacidade cognitiva intacta. A interface já está sendo produzida por uma empresa austríaca e o ISR trabalha agora no aperfeiçoamento da tecnologia para “diminuir o tempo de comunicação e aumentar a usabilidade. ’’

A iniciativa é de extrema importância ao avaliar o cenário atual dos portadores de deficiência motora. No Brasil, segundo dados do Censo de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) , mais de 2% da população é formada por pessoas portadoras de deficiência motora severa, como tetraplégicos, com paralisia cerebral ou esclerose lateral amiotrófica.

FONTE: Terra