Desafios do setor elétrico marcam o XI Encontro da Apine

O ministro em exercício de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, participou, nesta quinta-feira (29), do XI Encontro da Associação Brasileira dos Produtores de Energia Elétrica (Apine), em Brasília. Na ocasião, Zimmermann falou dos desafios e perspectivas do setor elétrico a longo prazo e comentou a participação dos produtores independentes de energia no país, considerada por ele “bem-sucedida”.
O ministro ressaltou os obstáculos já vencidos pelo setor e utilizou a usina hidrelétrica de Jirau como exemplo. “O Rio Madeira foi muito emblemático e, quando nós voltamos à velha tradição que o Brasil tinha de construir grandes hidrelétricas, foi um desafio”, afirmou. Para Zimmermann, houve um grande empenho no diálogo desenvolvido com as áreas envolvidas, como a ambiental e Poder Judiciário, e que a situação “veio para mostrar a sociedade que não é pelo tamanho do empreendimento que ele é mais ou menos viável ambientalmente”.
Segundo ele, aliar a expansão de energia no Brasil juntamente com a capacidade de instalação que o país demandara nos próximos 15 anos, representa também uma oportunidade para os produtores independentes. “Vocês (Apine) não estão ligados à transmissão, mas, por outro lado, são agentes que participam ativamente do Operador Nacional do Sistema. Temos o desafio de operar, e operar bem”, frisou
Para Zimmermann, há um comprometimento constante do governo no sentido de diversificar a matriz brasileira para que, além da hidreletricidade, outras fontes também tenham participação cada vez maior, como a eólica. “O governo busca que a hidreletricidade continue sendo o carro-chefe desse desenvolvimento e esperamos que, aos poucos, outras fontes venham ter essas condições de participar de um mercado rico e dinâmico como é o brasileiro”, concluiu.
Apine
É uma entidade de classe sem fins lucrativos que congrega produtores independentes de energia elétrica e empresas interessadas na atividade. Os associados da Apine representam a experiência de mais de 302 mil MW de capacidade instalada no mundo, o equivalente a cerca de três vezes a do Brasil ― são mais de 47 mil MW, o que corresponde a 43% da capacidade instalada no país.

Fonte: Ministério de Minas e Energia