Post do bem: Anjos da Rua

Post do bem: Anjos da Rua

Recentemente, segundo um estudo feito pelo IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), a população em situação de rua cresceu 140% a partir de 2012, chegando a quase 222 mil brasileiros em março deste ano. Além disso, a pesquisa mostra que os números tendem a aumentar com a crise econômica acentuada pela pandemia da Covid-19 e traz um alerta: a propagação do novo coronavírus aumenta a vulnerabilidade de quem vive na rua e exige atuação mais intensa do poder público.

No Post do Bem de hoje, o Energia Inteligente conta um pouco sobre o Projeto Anjos da Rua, que há cinco anos, ajuda a população em situação de rua na cidade de Juiz de Fora.

O projeto

Contanto com cerca de setenta voluntários, o projeto tem por objetivo doar refeições, alimentos, roupas, calçados, cobertores entre outros itens, que possam auxiliar na sobrevivência da população em situação de rua.

Os motivos que levam a uma pessoa a morar na rua são diversos, porém em sua grande maioria, são devidos a problemas econômicos. E junto com essa realidade, crescem também as dificuldades para conseguir uma recolocação no mercado de trabalho. A ausência de políticas públicas eficazes, com estratégias de superação da vida nas ruas, aliada a pandemia do novo coronavírus agravou ainda mais a situação.

Para Lúcia Moreira, voluntária do projeto, os problemas socioeconômicos do país foram ainda mais agravados após a pandemia, e os reflexos da doença no fechamento dos comércios e serviços, refletiu também nas ruas. “Com o comércio fechado e muitas pessoas desempregadas, várias famílias estão passando fome em suas casas, tanto que nos deparamos com pessoas nas ruas pedindo alimentos para suas casas por não terem nada para comer”, conta. Fato que levou o projeto a iniciar a distribuição de cestas básicas para diversas famílias em vulnerabilidade social.

Mais do que ajudar materialmente, também é importante ouvir essas pessoas, que são ignoradas diariamente pela sociedade. “Buscamos sempre ter com o próximo, um olhar de igualdade, buscando saber da sua história, dando um incentivo para melhorar de vida, orientando e encaminhamento para tratamentos, aqueles que pedem a nossa ajuda”, reforça Lúcia.

Como ajudar?

Todo o trabalho do projeto é feito de forma voluntária, sem nenhum fim lucrativo. Se você também deseja fazer parte dessa corrente do bem, as doações em dinheiro podem ser feitas através de uma vakinha online. Além disso, doações de alimentos podem ser feitas nos seguintes pontos de arrecadação:

  •  Óticas Visali – Bahamas São Vicente
  •  Rua Sabino Francisco de Barros 785, Bandeirantes

Fique por dentro

Acompanhe também todas as ações realizadas e pedidos feitos pelo projeto, no Facebook e Instagram: @anjosdaruajf.  

Curte o conteúdo do EI? Compartilhe com seus amigos e deixe sua opinião nos comentários. 

Juliana Quinelato

%d blogueiros gostam disto: