Consumo de energia pode ter ligação com aquecimento global, diz estudo

Um estudo publicado no site da “Nature Climate Change” no último domingo (27) alega que o calor dissipado pelo consumo de energia em todo o mundo pode ser responsável pelo aumento de temperatura durante o inverno em regiões do hemisfério norte, notadamente na Ásia e na América do Norte

Segundo a pesquisa realizada por cientistas da Universidade Estadual da Flórida e da Universidade da Califórnia, a estimativa é de uma elevação da temperatura em cerca de 1º C.

Mapa noturno registrado pela Nasa entre abril e outubro de 2012 mostra regiões iluminadas dos EUA (Foto: Divulgação/Nasa Earth Observatory/NOAA)

Esse aquecimento realizado pelas pessoas pode ter efeito na temperatura do ar a quilômetros de distância.  O fato ocorre apesar do consumo de eletricidade e de combustíveis fósseis por indústrias, prédios, casas, veículos e outras estruturas de grandes cidades ser distribuído pela superfície do planeta e o calor dissipado equivaler a só 0,3% do total da energia levada para regiões mais remotas do planeta pela circulação atmosférica.

Os pesquisadores dizem que, ao ser carregado pela circulação atmosférica, o calor dissipado afeta regiões distantes dos grandes centros urbanos. “Nós identificamos impactos climáticos plausíveis causados pelo consumo de energia, usando um modelo de escala global”, afirmam.

A pesquisa indica que esse é provavelmente o elo que está faltando para explicar o aquecimento em certas regiões do planeta, já que a maior parte dos modelos que simulam mudanças climáticas ignora o consumo de energia e o calor dissipado por ele.

A estimativa se encaixa com medições de crescimento de temperatura na segunda metade do século 20 com relação a períodos anteriore. O calor dissipado pode ter elevado a temperatura em até 1º C na Rússia e no norte da Ásia, e em 0,8º C nas pradarias do Canadá, de acordo com o modelo estudado.

 

FONTE: G1logopet