Um navio totalmente autônomo navegará pelo Oceano Atlântico

Um navio totalmente autônomo retomará em breve o caminho de uma viagem de 400 anos do Reino Unido para os Estados Unidos.

A embarcação de IA, que imitará a viagem de Mayflower, está sendo construída por uma equipe do Reino Unido, com a ajuda da empresa de tecnologia IBM.

O navio autônomo de Mayflower, também conhecido como MAS, será lançado de Plymouth no Reino Unido em setembro do próximo ano.

400 anos depois

A viagem do MAS está programada para comemorar o 400º aniversário do navio de peregrinação que trouxe colonos europeus para a América em 1620.

Esses colonos provavelmente nem poderiam imaginar que, 400 anos depois, os seres humanos seriam capazes de enviar um navio sem tripulação, guiado apenas por uma mente artificial que poderia extrair informações de centenas de navios que seguiram o mesmo caminho após o Mayflower.

E, no entanto, é o que está acontecendo com a IBM fornecendo sistemas de Inteligência Artificial (AI) para o Navio Autônomo Mayflower.

O navio está sendo construído pela ProMare, uma corporação sem fins lucrativos e uma instituição de caridade pública que promove a pesquisa e a exploração marinha em todos os oceanos do mundo.

A Universidade de Birmingham também faz parte do projeto e é “responsável pelo uso de tecnologias de realidade virtual, aumentada e mista”, de acordo com um comunicado de imprensa da IBM.

O poder da IA

Conforme a BBC relata, a embarcação com IA tomará suas próprias decisões sobre o melhor caminho a seguir e quais rotas evitar.

A tecnologia de sensor orientadora do MAS inclui detecção e alcance de luz (LIDAR), detecção de rádio e alcance (RADAR), GPS, satélites e câmeras.

A jornada original de Mayflower, que partiu de Plymouth, no Reino Unido, em 1620 em 6 de setembro, com cerca de 100 passageiros e 30 tripulantes, levou mais de dois meses para chegar aos EUA.

A nova versão atualizada do AI do Mayflower, com zero passageiros e tripulantes, levará aproximadamente duas semanas para atravessar o Atlântico.

O navio testará amostras do oceano ao cruzar o Atlântico, a fim de ajudar a entender os microplásticos e sua origem, distribuição e impacto potencial.

Fonte: Engenharia É

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.

logo_pet2