Circuitos eletrônicos ultrafinos aderem a qualquer superfície

Circuitos eletrônicos adesivos

010110140117-transistores-folhaCircuitos eletrônicos não precisam mais ser montados em placas de circuitos impressos duras e rígidas.

Giovanni Salvatore e Niko Münzenrieder, do Instituto Federal de Tecnologia de Zurique, na Suíça, demonstraram isso em um exemplo extremo.

A dupla criou transistores na forma de uma membrana ultrafina, que adere como cola a virtualmente qualquer superfície.

O objetivo da equipe, coordenada pelo professor Gerhard Troster, é desenvolver circuitos eletrônicos inteiramente flexíveis, que possam se adaptar às superfícies mais irregulares, de tecidos e roupas à pele humana.

Esta última versão dos circuitos eletrônicos flexíveis parece ter atingido o estágio necessário para o desenvolvimento de sensores confortáveis para o monitoramento de funções corporais, em pacientes hospitalizados ou em atletas.

A membrana foi construída com o polímero parilene, que é depositado por evaporação, formando uma camada de 0,001 milímetro. Sobre essa camada são construídos os transistores e demais componentes necessários para capturar, processar e transmitir os dados.

Lente de contato inteligente

Ainda que os componentes eletrônicos sejam menos flexíveis do que a membrana – eles são feitos de materiais cerâmicos – os semicondutores suportaram flexões com um raio de até 50 micrômetros sem sofrer danos.

Os testes foram feitos enrolando os circuitos em torno de um fio de cabelo humano e depois verificando sua funcionalidade.

O primeiro protótipo de circuito flexível criado pelos pesquisadores é uma lente de contato “inteligente”, com um circuito capaz de monitorar a pressão intraocular, uma medição essencial no acompanhamento de pacientes com risco de glaucoma.

Para chegarem ao mercado, porém, esses circuitos ultraflexíveis e transparentes terão que superar duas dificuldades: sobreviver ao ambiente pouco amigável – para os componentes eletrônicos – dos fluidos corporais e contar com uma fonte de energia, possivelmente por transmissão de eletricidade sem fios.

Fonte:Inovacao Tecnologica                                                                                                                          logopet (1)