Governo prevê Brasil no top 10 de energia eólica já em 2013

A EPE, órgão de planejamento do Ministério de Minas e Energia, acredita que Brasil deve terminar o próximo ano já dentro do top de geradores eólicos mundiais. Em apresentação no Brazil Wind Energy Conference, nessa segunda-feira (02/04), em São Paulo, o presidente da EPE, Maurício Tolmasquim  mostrou suas previsões para a fonte nos próximos anos. De acordo com os dados de Tolmasquim, o País já tem 7,1GW de geração a vento contratado para entrarem em operação até 2016. Com a concretização dessas usinas, o País deve saltar da 20ª para a 10ª posição no ranking dos países com mais potência eólica instalada.

A hipótese de Tolmasquim considera que os outros países do mundo mantenham o ritmo de inserção da fonte na matriz observado em 2011. Já em termos de ritmo, por megawatts instalados por ano, o Brasil deve sair de 11º para o 4º ou 5º lugar – isso porque em 2013 devem entrar no sistema elétrico brasileiro 2,3GW de parques eólicos.

“Isso explica porque há tanto interesse do mundo, dos frabricantes de eólica, no Brasil. Enquanto a contratação tem caído no mundo, com exceção da China, tem crescido no Brasi.”, apontou Tolmasquim durante sua apresentação. Segundo ele, o País conta com oito fabricantes atuando, que somam 3,9GW de capacidade de produção anual. Em 2013 serão nove, com 4,4GW. Desse montante cerca de metade fica no País, enquanto a outra metade vai para exportação.

Tolmasquim também mostrou uma lista de fabricantes interessados no País, que conta com grandes nomes como Siemens, Guodian, Sinovel, Goldwind e Acciona. Por aqui já estão confirmados GE, Führlander, Suzlon, Alstom, Vestas, Gamesa, Weg, Impsa e Wobben.

A presidente executiva da Abeeólica, Elbia Melo, destacou que a entidade conta com 94 associados, que vão de geradores a fabricantes e outras empresas da cadeia produtiva. Dados da associação ainda mostram que as fábricas de turbinas instaladas no Brasil já geram cerca de 12 mil empregos.

Fonte: Jornal da Energia